Flora

A Área de Paisagem Protegida da Serra do Açor, situada no concelho de Arganil, inclui a Mata da Margaraça, relíquia da antiga floresta primitiva, onde predominam espécies como o castanheiro, Castanea sativa e o carvalho-roble ou alvarinho, Quercus robur. Em menor abundância podem-se encontrar exemplares de azereiro, Prunus lusitanica ssp lusitanica, loureiro, Laurus nobilis, azevinho, Ilex aquifolium,entre muitos outros. Devido às condições climáticas da região, adversas durante o inverno, e à fraca intensidade luminosa que atinge o solo, graças à grande densidade arbórea e arbustiva existente, predominam espécies com elevado interesse científico, tais como o martagão, Lilium martagon, o selo de salomão, Polygonatum odoratum, o narciso, Narcissus triandrus, três espécies de orquídeas, Cephalanthera longifolia, Orchis mascula e Epipactis palustris, entre outras.

Alguma desta flora pode ser encontrada na Fraga da Pena, outra área de interesse desta área protegida, que resultou de um acidente geológico o qual origina, ao longo do curso de água existente, várias quedas de água, constituindo um local aprazível, de grande importância paisagística.

 

Fauna

Da Área de Paisagem Protegida da Serra do Açor são várias as espécies de animais que encontram aqui o seu habitat. De entre estas destaca-se o açor, ave de rapina que deu nome à Serra e é símbolo desta Área, a raposa, Vulpes vulpes, a fuínha, Martes foina, a doninha Mustela nivalis, a gineta, Genetta genetta, o javali, Sus scrofa, a coruja do mato, Strix aluco, e a rola, Streptopelia turtur. Da herpetofauna, destaca-se a salamandra de cauda comprida, Chioglossa lusitânica, e o lagarto de água, Lacerta schreiberi, que são endemismos ibéricos.